Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Mázinha.

                                                                                   *
 

Às vezes sou acusada de ser dura a falar e de ser intransigente nalgumas situações. Na verdade, há coisas que eu vejo e sei que estão mal e enquanto não pressiono, não “pico” os miolos à pessoa para fazer as coisas como deve ser, não me calo. Aliás, cá em casa tenho uma frase, dita por mim, muito famosa “Só me calo quando morrer… e mesmo assim, não sei!

 

Não sei se é defeito, se é feitio, ou até deformação profissional. Mas sou assim. Custa-me muito compactuar com certos comportamentos e atitudes incorrectas, irresponsabilidades gratuitas e situações injustas. Sei que, às vezes, podia utilizar palavras menos acutilantes mas acaba por ser mais forte do que eu. Mas quem, na minha posição, consegue estar a ver estas coisas e ficar impávida e serena?

 

Digo muitas vezes que vou passar a borrifar-me e a ignorar as coisas e até o faço por algum tempo. Mas há-de haver sempre alguma faísca que faça atear o fogo de novo… e depois começo eu com a minha enxurrada de palavras incisivas e marcantes.

 

Se eu tenho de melhorar? Talvez sim, mas há quem tenha de melhorar ainda muito mais…

 

* E se estiver em fase de TPM, como é o caso,  I'm a real bitch...:P

Escolhe O Bem.

Escolhe amar

em vez de odiar.

Escolhe rir

em vez de chorar.

Escolhe criar

em vez de destruir.

Escolhe perseverar

em vez de renunciar.

Escolhe louvar

em vez de criticar.

Escolhe curar

em vez de ferir.

Ecolhe actuar

em vez de adiar.

Escolhe viver

em vez de morrer.

 

Encontrei este poema num postal que me foi dado pelas manas. Acho que estão aqui implícitos ensinamentos que nos podem fazer reflectir acerca da nossa conduta em relação a nós e aos outros. Em tempos de menos alento, umas palavras de consolo trazem-nos sempre borrifos de energia positiva.